Informativo Vida Saudável

Cinco respostas sobre o diabetes tipo 1

95 de 180

diabetes 4

Ao longo desses anos, o Núcleo de Diabetes do laboratório CEDLAB recebeu inúmeros pacientes com diabetes Tipo 1 e várias dúvidas foram levantadas sobre a doença. Para não deixar dúvidas, separamos cinco perguntas comuns de diabéticos e familiares sobre a doença.

O que é diabetes Tipo 1?

O diabetes Tipo 1 acontece quando a produção de insulina do pâncreas é insuficiente, pois suas células sofrem de destruição autoimune. O pâncreas perde a capacidade de produzir insulina em decorrência de um defeito do sistema imunológico, fazendo com que nossos anticorpos ataquem as células que produzem esse hormônio. Nesse cenário, o corpo acaba atacando as células que produzem insulina por não as reconhecerem mais como sendo da pessoa.

O diabetes Tipo 1 ocorre em cerca de 5 a 10% dos pacientes com diabetes. Os portadores dessa doença necessitam de injeções diárias de insulina para manterem a glicose no sangue em valores normais, e há risco de vida se as doses de insulina não são dadas diariamente. Embora ocorra em qualquer idade, ele é diagnosticado com mais frequência em crianças, adolescentes ou adultos jovens.

Quais os sintomas mais comuns?

  • Vontade de urinar diversas vezes ao dia
  • Fome frequente
  • Sede constante
  • Perda de peso
  • Fraqueza
  • Fadiga
  • Nervosismo
  • Mudanças de humor
  • Náusea e vômito

Ao contrário do diabetes Tipo 2, em que esses sintomas se instalam de maneira gradativa, no Tipo 1 eles aparecem rapidamente, principalmente vontade frequente de urinar, sede excessiva e emagrecimento.

Existe cura para o Diabetes Tipo 1?

Ele é uma doença que dura a vida toda e ainda não existe cura. No entanto, o quadro varia de acordo com a pessoa. Um controle rigoroso dos níveis de glicose no sangue pode evitar ou retardar o aparecimento de problemas decorrentes da doença. No entanto, as complicações podem ocorrer mesmo em pessoas com um bom controle do diabetes.

Diabetes é contagioso?

O diabetes não passa de pessoa para pessoa. O que acontece é que, em especial no Tipo 1, há uma propensão genética para se ter a doença e não uma transmissão comum. Pode acontecer, por exemplo, a mãe ter diabetes e os filhos nascerem totalmente saudáveis. Já o diabetes Tipo 2 é uma consequência de maus hábitos, como sedentarismo e obesidade.

Insulina causa dependência química?

A aplicação de insulina não promove qualquer tipo de dependência química ou psíquica. O hormônio é importante para permitir a entrada de glicose na célula, tornando-se fonte de energia. Não se trata de dependência química e sim de necessidade vital. O paciente com diabetes precisa da insulina para sobreviver, mas não é um viciado na substância.

,,,,,

Autor: Dra. Alexandra Manfredini

Diretora Laboratório CEDLAB

Menu: